Fiquei afastado pelo INSS, posso perder minhas férias?

Quer ouvir ao invés de ler? Aperte o play. (Problemas técnicos na reprodução em Iphone)

Chegando próximo aos meses finais do ano, o período de férias começa a surgir no horizonte para empregados e empregadores e, com ele, algumas dúvidas reaparecem.

Primeiramente, é importante entender como funcionam as férias no contrato de trabalho.

Após ter entendido como que o empregador poderá conceder as férias para seus empregados e como que funciona o período aquisitivo e concessivo, existem algumas peculiaridades, com alguns empregados, que devem ser respeitadas.

É o caso daqueles empregados que retornam do período de afastamento do INSS: o que realmente acontece com o seu período de férias, que tanto empregado e empregador devem ficar atentos.

Além disto é importante entender que este período de afastamento impacta na aposentadoria do empregado.

Leia também

Projeto de Lei garante home office aos pais enquanto não houver creche ou escolas na pandemia
Quais as principais vantagens e desvantagens de trabalhar como MEI?

O empregado que ficou afastado pelo INSS perde o direito ao período de férias?

Dependerá do tempo de afastamento e do tempo de contrato de trabalho deste empregado.

Primeiramente é importante entender que o empregado não perde as férias, mas poderá, sim, influenciar no seu período aquisitivo de direito a férias.

Aquele empregado que, no período aquisitivo, ficar afastado pelo INSS, por um tempo superior a SEIS MESES, mesmo que o período não seja contínuo, deixa de ter o direito a férias.

Neste caso, inicia-se uma nova contagem do período aquisitivo quando o empregado retornar do seu afastamento previdenciário.

Em casos de afastamentos pelo INSS com tempo INFERIOR ou igual seis meses não muda em nada o período aquisitivo de férias do empregado, portanto, não há nenhuma influência em seu período aquisitivo de férias.

É importante que tanto empregado como empregador estejam atentos a esta peculiaridade para que não seja cometido nenhum ato ilegal contra a legislação trabalhista e previdenciária. Bem como ressalta-se a importância de observar as consequências e direitos que se originam em cada afastamento pelo INSS de um determinado empregado.

Quer receber conteúdos no seu WhatsApp semanalmente? Clique aqui!