Empregadores: suspensa a exigibilidade do recolhimento do FGTS nos vencimentos de abril, maio e junho de 2020

O FGTS retido pelo empregador referente às competências de março, abril e maio de 2020 não será exigido nos respectivos vencimentos: abril, maio e junho de 2020. O recolhimento desses meses poderá ser realizado de forma parcelada, sem a incidência da atualização, multa e encargos.

Os empregadores poderão fazer uso dessa prerrogativa independentemente do número de empregados, do regime de tributação, da natureza jurídica, do ramo de atividade econômica e da adesão prévia. O pagamento das obrigações referentes às competências mencionadas será quitado em até seis parcelas mensais, com vencimento no sétimo dia de cada mês, a partir de julho de 2020.

E se o trabalhador for demitido/pedir demissão nesse período?

Na hipótese de rescisão do contrato de trabalho, eventuais parcelas vincendas terão sua data de vencimento antecipada para o prazo aplicável. Essas e outras disposições podem ser conferidas na Medida Provisória nº 927, de 22 de março de 2020.

Leia também

Pequenas e Médias empresas: Aprovadas medidas econômicas pelo BNDES para minimizar os impactos do coronavírus
Empresas não poderão realizar corte de energia elétrica de consumidores inadimplentes

Empresas optantes pelo Simples Nacional:

As empresas optantes pelo Simples Nacional também tiveram a prorrogação do pagamento dos seus tributos federais.

• O período de apuração março de 2020, com vencimento original em 20 de abril de 2020, fica com vencimento para 20 de outubro de 2020;

Já em relação ao lapso de abril de 2020, com vencimento original em 20 de maio de 2020, fica com vencimento para 20 de novembro de 2020;

• Por fim, quanto ao prazo de maio de 2020, com vencimento original em 22 de junho de 2020, fica com vencimento para 21 de dezembro de 2020.

Veja artigo completo sobre o Simples Nacional clicando aqui.

Quer receber conteúdos no seu WhatsApp semanalmente? Clique aqui!